seo
своими руками
Sábado, 01 Dezembro 2012 18:02

A Terceira Viajem

A Terceira Viagem
(esta é curtinha)


Havia acabado de chegar da Bahia e estava em Uberlândia Minas Gerais, apesar de menos distante de casa, ainda seria necessário arranjar outro frete para acabar de chegar até Goiânia Goiás onde residia naquela época.

Era domingo e eu estava em um posto de gasolina, esta é a rotina do caminhoneiro.
Em minha opinião esta é a parte chata da vida do caminhoneiro, ficar parado em um posto. Isso foi sempre o que mais me aborreceu.

Nos momentos em que não estamos trabalhando o maior desejo é estar na companhia de nossos queridos, este é sempre o meu desejo, mas nesta vida nas estradas, e nesta atividade de caminhoneiro não e possível que seja sempre desta forma.

Eu sempre me esforcei para conseguir cargas que me permitissem entre um destino e o outro passar em minha casa.
Sempre procurei quando estava com o caminhão vazio alem de encontrar a carga com valores justos cronometrar o roteiro com este objetivo voltar para casa.

Por vezes a maioria acaba se deslocando com o caminhão vazio por distâncias muito grandes para poderem voltar para casa. Este ato acaba por comprometer o lucro da viagem anterior.
Fiz isso algumas vezes más somente após considerar o prejuízo tomei esta atitude.
Nesta ocasião resolvi esperar a segunda feira para arranjar uma carga. Mas de repente apareceu uma oportunidade de carregar ainda no domingo. Pensei vou nessa, teria que andar ainda perto de duzentos quilômetros com o caminhão vazio até a cidade onde eu iria carregar. Isso não me atraia más ficar ali parado no posto me agradava menos ainda.

Era uma carga de soja que eu iria carregar e após pegar a ordem de carregamento me dirigi à cidade de Campo Florido. Chegando lá diferente da promessa de ??chegar e carregar? como é de costume ouvir, já não estavam carregando mais e tinha já alguns caminhões parados esperando em fila.

Fui então tomar conhecimento do motivo e fui informado que estava parado o carregamento devido a um problema com a emissão da nota fiscal. Perguntei e agora? Fizeram-me andar com o caminhão vazio toda esta distancia para perder a viagem?
Responderam-me que não tinham previsão de normalizar a liberação das notas fiscais.
Pretendiam recomeçar o carregamento no inicio do dia seguinte e informaram se caso eu e os que estavam na minha frente quisesse-mos poderíamos carregar, mas somente seriamos liberados para viajar quando fosse emitida a nota fiscal, e como o problema era com o sistema da Sefaz eles não assumiam nenhuma responsabilidade.

Como se costuma dizer ??puxa vida?? e agora o que fazer? Já andei tudo isso para vir até aqui e para piorar esta cidade era no sentido contrario a direção onde eu morava, caso fosse na mesma direção estaria quase em casa e terminaria de chegar em casa com o caminhão vazio mesmo.

Mas acabou que aquela tentativa para retornar para casa mais rápido e não ficar parado no posto me afastou ainda mais do meu objetivo. Diante de não haver uma previsão segura de conseguir carregar e não saber quanto tempo isso poderia demorar decidi que não adiantaria ficar ali naquela cidadesinha, ali tinha somente aquela empresa e seria a unica opção para conseguir carregar então me dirigi para Uberaba- MG.
Ao chegar a Uberaba me informei nos postos como de costume e fiquei sabendo onde haveria possibilidade de conseguir um frete. Informaram-me que ali existia uma empresa de grande porte que costumava ter carga para toda a região e até outros estados. E que também carregavam em horários ininterruptos chegando a carregar durante a noite.

Fiquei animado e fui ao encontro da transportadora que contratava os fretes. Fiquei feliz porque tudo estava se encaminhando para a minha volta para casa. Ao ser informado das cargas e destinos disponíveis fiquei mais feliz ainda porque havia uma carga para minha cidade e vizinhança.

Vamos ver então o preço que estão oferecendo pensei comigo. Até aqui tudo estava uma maravilha. E o preço do frete? Ao saber o valor que estavam oferecendo pensei comigo, que legal o preço esta razoável, tudo estava muito bom, então eu já havia aceitado o valor e combinado tudo, tinha em mãos a ordem para carregar e faltava agora aguardar a minha vez e fui para fila.

Ai então nestas filas de espera é que eu me informava melhor sobre as particularidades de cada carga e também aproveitava sempre que surgia a oportunidade e Deus colocava alguém com este objetivo eu contava meu testemunho e entregava mais um dos livrinhos com a "Minha Historia" ali também aconteceu desta forma, fiz mais alguns amigos.

Estava tudo otimo então fiquei sabendo que a carga requeria um cuidado especial por tratar-se de chapas de MDF com um acabamento muito liso e este acabamento fazia com que as chapas escorregassem com grande facilidade caindo para fora da carroceria do caminhão ao menor descuido com uma curva ou ao frear causando acidentes.

Fui alertado pelos companheiros que já havia acontecido acidentes na primeira rotatória que ficava a menos de 1 km do local onde era feito o carregamento. Como se diz no nordeste ??VIXI? e agora fazer o que, depois de tudo isso, e já estar aqui e estar tudo encaminhado vou carregar... Se os outros carregam eu também posso.

Claro que assim foi, carreguei as chapas com certo receio e confesso que segui viagem mas com todo cuidado e mais um pouco rsss...

Ainda bem que não era muito distante estava agora por volta de 350 a 400 km de distancia de casa e depois de quase duas semanas que havia saído estava quase chegando.

Neste periodo eu havia percorrido quase 5.000 km e fiz o seguinte percurso:
Cuiaba-MT para Salvador-BA  -/-  Salvador para Alagoinha -/-  Alagoinha para Uberlândia -MG Uberlândia para Campo Florido -MG - /- Campo Florido para Uberaba ??MG - /- Uberaba para Goiânia ?? GO

Quando cheguei em casa faltavam apenas 2 km para completar 5.000 km desde o inicio da primeira viagem.
Somente após carregar pela terceira vez que consegui retornar.
Somente depois de três cargas carregadas consegui retornar para casa 

Última modificação em Sábado, 09 Fevereiro 2013 15:34